<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4724661584264863329\x26blogName\x3dGuloseimas+da+Lu\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://guloseimasdalu.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://guloseimasdalu.blogspot.com/\x26vt\x3d-4789931331110197386', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, 26 de abril de 2016



Cupcake de Frutas Vermelhas






Não ando com muita vontade de falar, nem mesmo escrever, mas minha cozinha continua a todo vapor...
Essa postagem é para a Letícia, amiga do Gabriel, com quem ando meio em débito...
Segue a receita Lê...
Essa é uma versão branca do bolo peteleco da nestlé...

               Ingredientes

3 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de açúcar
1 colher (chá) de fermento químico em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
Geléia ( conforme sua preferência, eu usei de blueberrie)
1 xícara (chá) de óleo
2 ovos ligeiramente batidos
Framboesas e amoras
              
               Modo de Preparo
              
Em um recipiente, misture a farinha de trigo, o açúcar, o fermento e o bicarbonato peneirados. Junte o óleo, os ovos e duas xícaras (chá) de água fervente, misturando bem. Despeje a massa nas forminhas de cupcake, coloque 1 colher de chá de geléia da sua preferência e misture com um palito de dente em cada forminha, asse em forno médio alto (200°C), pré aquecido, por cerca de 35 minutos ou até que um palito, depois de espetado na massa, saia limpo.
Decore com as frutas e polvilhe açúcar de confeiteiro.






sábado, 27 de fevereiro de 2016





Dicas interessantes:
.
Instruções:

1. Leia toda a receita e tenha certeza de ter todos os ingredientes para assar o seu bolo perfeito. Se você esquecer de um ingrediente ou colocar um errado, o resultado pode ser desastroso. Retire os ingredientes que ficam na geladeira para fora e deixem que cheguem na temperatura ambiente. (Ovos – não mais que 30 min antes da hora da preparação)

2. Tenha certeza que você tem as formas corretas. Tamanhos impróprios causam bolos cozidos em excesso, pouco cozidos ou feios. Unte o interior usando manteiga e farinha e retire o excesso. Reserve.

3. Pré-aqueça o forno com a temperatura especificada na receita, por pelo menos 20 minutos antes de assar o bolo. A posição da prateleira é mais um ponto importante. Antes de ligar o forno, ajuste a prateleira à posição designada pela receita. Para bolos a melhor posição é no centro do forno. A temperatura do forno para bolo simples deve ser de 180°C, ou seja, forno médio.

4. Meça exatamento todos os ingredientes usando copos medidores para secos e líquidos. Peneire todos os ingredientes secos. Bater bem a manteiga e o açúcar, até ficar um creme esbranquiçado. Acrescentar as gemas e continuar batendo.
Acrescentar as farinhas e o líquido, por etapas alternadas, para obter uma mistura homogênea. Acrescentar delicadamente as claras batidas em neve, para que o ar não se perca. O fermento em pó deve ser acrescentado só no final da preparação para que sua ação não seja enfraquecida.

5. Encha 2/3 das formas com o bolo e em alguns casos dê uns tapinhas com a forma em cima da mesa para que as bolhas de ar subam para a superfície.

6. Fique sempre de olho no tempo, se você possuir um timer, use-o. Não abrir o forno antes de 15 a 20 minutos.Uma boa regra é sempre conferir o bolo 8 minutos antes do tempo estipulado pela receita. Faça o teste do palito: insira um palito no centro do bolo para checar a consistência, se ele sair limpo o bolo está pronto, mas se sair sujo espere mais 4 minutos e olhe novamente.

7. Retire a forma do forno e coloque sobre algum tipo de grelha e deixe esfriar de 10 a 20 minutos. Passe uma faca em volta da borda da forma para soltar o bolo. Segurando a grelha sobre a forma, gire para retirar o bolo. Deixe esfriar completamente.

Os Ingredientes:

A Gordura – faz o bolo ficar macio, atenuando a ação da farinha. Para que as gorduras fiquem bem misturadas, devem ser batidas energicamente com o açúcar. O excesso de gordura pode deixar o bolo pesado, compacto, indigesto. Sua falta faz com que o bolo fique seco, duro.

O amido de milho – deixa à massa leve, mais leve que a farinha de trigo, vai permitir que seu bolo fique mais macio e saboroso.

O Açucar – na maioria das receitas, deve ser batido com a manteiga, pois da combinação destes dois elementos resulta a maior delicadeza da massa. O excesso de açúcar faz o bolo ficar com textura desigual, levemente grossa, impedindo seu crescimento.

Os Ovos – as gemas ajudam a estabilizar, dar liga à massa. Devem ser batidas com o açúcar e a manteiga. A s claras que dão leveza à massa devem ser batidas em neve para fornecer maior quantidade de ar. Só devem ser acrescentadas à massa no final, delicadamente, para que o ar não se perca.

O Fermento – o fermento em pó deve ser acrescentado só no final da preparação para que sua ação não seja enfraquecida, pois começa a agir quando entra em contato com os líquidos frios.

O Óleo – o óleo além do sabor, impede que o glúten se forme, pois vai envolver as proteínas da farinha, impedindo que elas se liguem entre si. Vai portanto contribuir para o bolo ficar mais macio.

O Leite – o leite vai fornecer água para além da existente nos ovos, que vai contribuir para tornar o bolo mais úmido e gostoso.

A Água - quando feito com água, o bolo fica mais leve e não tao pesado e nutritivo como quando feito com leite.Também para quem é alérgico ao leite sempre tem como opção a água ou para quem não goste de leite.

O Leite e a Água morna – a água ou o lente morno ativa o efeito do fermento que vai na massa, produzindo milhões de bolhinhas, portanto contribui para tornar os bolos mais leves.

O Bicarbonato de Sódio – como o fermento ele serve para fazer o bolo crescer, ele é também adicionado junto com o fermento para neutralizar alguns ácidos na receita (vinagre, iogurte, chocolate, etc) e para adicionar maciez. Mas para o bolo crescer melhor prefira sempre o fermento. E serve também para realçar a cor do bolo principalmente em bolos de chocolate.

Recheio e Cobertura – até os mais simples bolos se transformam em grandes super-receitas quando recebem um delicioso recheio. E se tiverem um acabamento caprichado, melhor ainda, pois podem até virar bolo de festa. Branquinho, brigadeiro, leite condensado, doce de leite são algumas sugestões que podem incrementar a sua receita. Ah, importante: o bolo deve estar completamente frio para receber recheio ou cobertura. E também deixe esfriar a cobertura e o recheio por cerca de 2 horas na geladeira antes de usa-los.

Problemas:

Um bolo afundado no meio:
- Excesso de líquido
- Insuficiência de qualquer dos ingredientes secos
- Excesso de açúcar ou fermento (a massa escurece)
- Temperatura do forno alta demais
- Porta do forno aberta antes do tempo mínimo de cozimento
- Mistura leve colocada em fôrma grande e funda

Um bolo “solado” (achatado):
- Fermento vencido ou em pouca quantidade
- Líquido em excesso ou ovos em falta
- Pouca massa para uma fôrma grande
- Quantidade insuficiente de açúcar
- Mistura muito batida após inclusão da farinha
-Excesso de farinha

Um bolo compacto, pesado:
- excesso de gordura

O meio mais crescido e a superfície achatada:
-Forma colocada em grade muito alta
-Temperatura excessiva, formando rapidamente uma crosta sobre a massa.

Pão-de-ló com superfície irregular/rachada:
- Forma pequena
- Excesso de fermento
- Forno quente demais
- Massa assada em excesso


Fonte:http://saboresdacozinhasemgluten.blogspot.com.br/2013/10/dicas-de-mestre-escola-de-gastronomia-e.html




sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016



Kafta da Rita Lobo ( Cozinha Prática)



Achei essa Kafta deliciosa, a maneira que a Rita Lobo cozinha me encanta, percebesse nitidamente o amor dela pelo alimento, o prazer em cozinhar e servir...E o mais importante , todas as receitas que eu faço dela , dão certo!



Ingredientes
·         
500g de patinho moído
·         1 cebola
·         ¼ de xícara (chá) de folhas de hortelã
·         1 colher (chá) de cúrcuma
·         ½ colher (chá) de canela em pó
·         ½ colher (chá) de pimenta-síria
·         1 colher (chá) de cominho
·         Raspas de 1 limão-taiti
·         2 colheres (chá) de sal
·         6 castanhas de caju torradas sem sal
·         Azeite (para pincelar)
·         Espetos de bambu de 15cm

Modo de preparo
1.Em um refratário, coloque os espetos de bambu e complete com água. 
Deixe de molho enquanto prepara a carne - isso evita que eles queimem na hora de grelhar.
2.  Você pode usar um ralador ou um processador. Se for usar o processador, 
descasque e bata a cebola apenas para triturar (ou passe na parte fina do ralador).
3.   Transfira para um peneira fina e aperte ligeiramente com as costas 
de uma colher para tirar o líquido que se formou. Descarte o líquido.
4.   Volte a cebola escorrida para o processador e junte as castanhas de caju, as folhas de hortelã,
 a cúrcuma, a canela, a pimenta-síria, o cominho e o sal.
5.   Bata até formar uma pasta. Se não estiver usando 
o processador: transfira a cebola escorrida para uma tigela e misture os temperos
6.   (a cúrcuma, a canela, a pimenta-síria, o cominho, as raspas de limão e o sal)






quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016






Frango Xadrez

Frango
1 kg de peito de frango cortado em cubos ( eu usei filés de sassami, porque acho mais molhadinho)
1 xícara (chá) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de maisena
1/2 colher (sopa) de fermento em pó 

Sal
Água GELADA
Óleo , para fritar


Molho:
1 colher (sopa) de óleo de gergelim torrada
1 pimentão verde( eu usei o vermelho) cortado em quadradinhos.

1 maço de brócolis
1/2 repolho 
1 cebola cortada em quadradinhos
2 colheres (sopa) de maisena
1 xícara(chá) de água ( ou quanto você achar que deve, mas aumente também a maisena)
1 xícara (chá) de molho de soja (shoyu)
1/2 xícara (chá) de catchup

1 colhe de sobremesa de fermento em pó
Sal ( mas cuidado, não esqueça que o shoyu já é bem salgado)

Modo de preparar:

Tempere o peito de frango e reserve. Em uma tigela, coloque a farinha e a maisena e o sal. Adicione aos poucos uma xícara (chá) de água gelada, o fermento e passe os cubos de frango. Frite-os em óleo quente até ficarem bem dourados. Retire do fogo e coloque sobre papel absorvente. Reserve. Em uma frigideira, aqueça o óleo e refogue ligeiramente a cebola,os pimentões ,o brócolis e o repolho, coloque o shoyu, a água o catchup e a maisena em uma vasilha e misture bem, despeje sobre os legumes,quando o molho engrossando coloque o frango frito e misture, espere o molho encorporar ao frango e desligue, está pronto. 
Na próxima vou adicionar amendoim, acho que dá um toque especial. #ficaadica







segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015
Lanche na forma de cupcake



Lanchinho de sábado à noite.

Tenho pegado bastantes novidades no PINTEREST www.pinterest.com, você não tem? Então corre lá para se cadastrar, a maioria das receitas está em inglês, mas pelo passo a passo dá para ter noção de como é feito, e melhor, usar nossa criatividade culinária baseada nas fotos.
Hoje eu não vou colocar a receita, e sim as fotos do passo a passo, não tem erro, qualquer dúvida é só perguntar nos comentários.
Como o meu filhote disse que o pão ficou seco, na próxima vez vou molhar o pão no leite bem temperado, aí conto para vocês se ficou melhor, eu gostei assim mesmo!

Ingredientes:
Pão de forma (eu tirei a casca mais durinha)
Bacon em fatias
Ovos de codorna
Queijo ralado (eu usei queijo prato)
Orégano






sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015
Hambúrguer Rústico




Sempre é bom cozinhar... Mas tem dias que prefiro comer pão a ter que pensar no que fazer, acho que todo mundo é assim, né?
Bom... Segunda feira de carnaval estraguei o dia todo do meu filhote. Trocando em miúdos, ele teve que me acompanhar e fazer coisas que para ele são consideradas chatas; lembro-me exatamente como me sentia na idade dele...
Para compensar resolvi fazer hambúrguer que ele adora; mesmo os de caixinha, aliás, aqui em casa se eu der para ele um miojo, ou um macarrão a carbonara, ele não irá sentir diferença. Meu filho é uma daquelas crianças que comem por obrigação, para minha frustração!!
Enfim... Mesmo assim eu faço, porque sirvo a ele comida recheada de carinho, e essa é uma das minhas maneiras de demonstrar o meu amor.
Normalmente quando vou fazer hambúrguer peço ao açougueiro para moer metade carne de boi e metade de porco, também existe a opção de moer uma carne com mais gordurinhas como fraldinha ou maminha, dessa vez eu não tinha nenhuma das opções, então eu Moí no meu processador mesmo 200 g de bacon e misturei com a carne.

Ingredientes usados:
400 g de patinho moído
200 g de bacon
1 cebola
1 dente de alho
Sal a gosto
1 colher de chá de açafrão
1 colher de chá de cominho em pó
Azeite para fritar (só dar uma pincelada na frigideira)


Modo de fazer:

Eu moí o bacon no processador juntamente com a cebola, o alho e os temperos, misturei com o patinho moído, fiz bolotas grandes e coloquei na frigideira amassando com a escumadeira para achatar, frite de um lado até começar a soltar sangue, vire, e doure do outro lado, ficou esses hambúrgueres rústicos e deliciosos, que você vê na foto.




quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015
Mosaico de Gelatina



Prática,saudável, refrescante, colorida , com a cara do carnaval e um saborzinho de infância delicioso...
Mosaico de gelatina, não precisa dizer mais nada, certo?

Ingredientes
1 pacote de gelatina sabor tutti Frutti
1 pacote de gelatina sabor framboesa
1 pacote de gelatina sabor abacaxi
1 pacote de gelatina incolor
1 lata de creme de leite
1 lata de leite condensado

Eu usei esses sabores, mas fica a critério de cada um, o legal é colorir...

Modo de fazer
Prepare as gelatinas separadamente, eu coloco 50 ml a menos de água em cada uma, para ficar durinha. Coloque para gelar por umas 3 horas, até menos. Depois corte em quadradinhos e coloque numa travessa, de preferência transparente, tipo marinex, desmanche a gelatina incolor em água quente e em uma travessa a parte misture, a gelatina incolor , o leite condensado e o creme de leite, se você preferir pode colocar tudo no liquidificador, eu usei um fouet, porque o copo do meu liquidificador está quebrado, e eu só me lembro quando preciso dele...Aff!! Despeje essa mistura sobre os cubinhos de gelatina colorida cortados e dê uma leve mexida.Está pronto!É só colocar para gelar por 1 hora.




domingo, 15 de fevereiro de 2015
Dobradinha, bucho ou como queiram chamar...




O prato do dia aqui em casa foi dobradinha...

Ok... Sei que muitas pessoas torcem o nariz para esse prato, e concordo que ele parece bem nojento, mas eu particularmente amo!
Mas, mesmo amando, tenho restrições, primeiro ele precisa ser bem limpo, segundo muito bem cozido e eu, podem rir, não consigo comer no mesmo dia em que cozinho. O cheiro dele entra de tal forma no meu nariz que perco totalmente o apetite, sendo assim faço sempre de um dia para o outro.
Segundo a wikipédia a dobradinha é um prato típico de Portugal:

“Dobradinha (português brasileiro) ou dobrada (português europeu) é o nome dado, em culinária, ao bucho de animais, em especial do boi, cozido em pequenos pedaços com grande variedade de condimentos e acompanhamentos.
É prato tradicional da cozinha do norte de Portugal e de diversas regiões Brasil, tendo sido tema de célebre poema de Fernando Pessoa, Dobrada à moda do Porto.
Na cidade do Porto e na região circundante, a dobrada é conhecida como tripas, sendo o prato mais conhecido designado por tripas à moda do Porto. O gentílico tripeiro, que designa um habitante da cidade do Porto, é derivado precisamente deste prato ancestral."


Como nós brasileiros somos muito criativos, acabamos por variar essa receita...
Eu fiz com calabresa, bacon e feijão branco. Acompanhado de farinha, arroz e molho de pimenta, acho que fica perfeito.

Como a receita foi só para 2 pessoas, no caso eu e minha mãe, usei tudo em pequenas porções.

Ingredientes:
300 g de bucho
250 g de feijão branco
200 g de bacon
1 calabresa inteira
Meia cebola
1 colher de sopa de alho picado
2 tomates pelados (mas pode ser molho de tomate mesmo)

Cozinhe na pressão separadamente o feijão, depois o bucho, até que ambos fiquem macios, reserve.
Numa panela à parte, frite o bacon e a calabresa, quando estiverem bem fritos coloque a cebola e o alho, continue refogando, quando a cebola estiver quase transparente, acrescente o bucho cozido e escorrido, refogue, coloque o tomate e por último o feijão, adicione água para que possa cozinhar pelo menos vinte minutos, corrija o sal e, bom apetite!






sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015
Risoto vapt vupt de camarão...



Risoto de Camarão

Depois de dois dias comendo pão com queijo no tostex, me recusei a repetir a façanha...
Fazendo uma catança no armário, já crente que teria que comer miojo, eis que me deparo com uma caixa de arroz arbóreo, resolvido!
Alguns ingredientes são curingas na dispensa para quando queremos sair do trivial, mas confesso que não me lembrava dessa linda caixinha escondida lá...
Então foi assim que comecei: arroz arbóreo... Opa, uma lata de tomate pelado!!! Já temos a base e uma cor...Abro o congelador e um pacote de camarão pula pra fora, a estrela da festa! Tem queijo ralado? Ufa,tem! Manteiga, cebolinha picada, que eu compro, lavo, pico e congelo em saquinho. Abrindo uns parênteses, vocês sabiam que cebolinha é ótima para o bom funcionamento do intestino? Pois é, vi a Bela Gil falando outro dia. Cebola, alho e sal.

Vamos listas os ingredientes então?

250 g de arroz arbóreo (tenho dificuldade com quantidade, porque faço no olho).
1 xícara de cebolinha picada
1 xícara de cebola picada (eu gosto de bastante, fica a critério de cada um).
1 Colher de algo picado
3 colheres de manteiga (sendo que uma é para o final)
Caldo de peixe (eu usei um em pó que eu tinha, mas pode ser em tablete).
400 g de camarão (o meu era aquele pré-cozido)
Sal a gosto
100 g de queijo ralado (mas pelo amor de Deus, nada daquele queijo em pó).
O certo seria colocar uma xícara de vinho branco seco, mas eu não tinha.

Modo de fazer

Primeiramente coloque o caldo do camarão para ferver em 1 litro de água, num caldeirão.
Em uma panela coloque duas colheres de manteiga e frite a cebola e o alho, em seguida acrescente o arroz mexendo sem parar, vá colocando o caldo, que a essa altura tem q estar fervendo, para não parar o cozimento do arroz, coloque sempre aos poucos e vá mexendo, quando você perceber que o arroz está QUASE chegando no ponto, acrescente o camarão, depois o tomate picado, a cebolinha e vá mexendo, para finalizar 1 colher de manteiga, e quando desligar o queijo ralado, o arroz não pode ficar mole, mas também não pode estar duro, portanto não pense duas vezes, experimente!!!

Fotos do modo de preparo abaixo:










A cozinha reabriu...




Já faz algum tempo que não escrevo, ou melhor, muuuito tempo...
Cozinhar para mim é mais que um ato de amor, é uma terapia, meu coração fica em paz...
Mas para que isso aconteça precisamos de pessoas ao redor, pessoas que apreciem a boa culinária, que gostem de sabores e de sensações.
Li um texto que expressa exatamente o que eu penso a respeito da cozinha:

"Casa que faz fumaça é aquela em que as pessoas se reúnem na cozinha, ou perto dela, para as refeições em comum. Casa que faz fumaça é aquela onde se serve café cheiroso, feijão com arroz, carne quentinha, caldo verde e outros quitutes. Casa que faz fumaça é aquela em que as pessoas se encontram para tomar uma xícara de café com leite, comer canjica ou broa de fubá com gosto de erva doce. Do forno do fogão a lenha saíam pães caseiros e cucas cobertas de banana com canela.

Casa que não faz fumaça é aquela em que a cozinha está sempre arrumada, arrumada demais, sem louça suja na pia, e tudo está na geladeira embrulhado em papel laminado ou guardado em vasilhas de plástico. Cada um come quando quer. Esquenta a comida no micro-ondas e depois fecha os potes de plástico onde estava a comida da véspera ou do meio-dia. Casa em que o fogão funciona pouco ou quase nunca é aquela em que as pessoas se encontram pouco ou quase nunca. Os tempos mudaram. As pessoas não têm tempo para perder na cozinha. A dona de casa trabalha fora e os fogões são a gás de botijão proveniente da Bolívia."

(Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil.)

Achei bárbaro!
Essa semana o Léo Jaime falou no programa “saia justa de verão", não vou saber dizer ao certo, mas foi mais ou menos algo como "é na cozinha que as pessoas se aquecem" tem a ver com o fogo, com o calor, e porque não ir além e dizer que uma boa refeição aquece também o coração, não é?
Lembro-me da minha avó, de quem eu herdei essa paixão, ela era chata, ranzinza como toda avó quando os pimpolhos querem colocar fogo na casa, mas de alguns anos pra cá percebi que ela expressava o amor dela cozinhando, não me lembro de uma única vez, ter pedido algo para comer e num passe de mágica estar à mesa, com quanto carinho e quanto amor ela me presenteou... Nossa, quanta saudade! Quando cozinho sinto ela por perto, não espiritualmente falando, mas emocionalmente, me lembro do último pão de queijo que fiz para ela...
Meus avós eram quituteiros de mãos e corações cheios. Meu avô chegou a cozinhar para Getulio Vargas, olha que legal, eu ainda guardo o cartão de agradecimento todo amarelado, assim como o caderno de receitas que meu avô amorosamente começou para minha avó.


Meu pai e minha tia também herdaram esse dom, e é por aí que vemos que um exemplo vale mais do que mil palavras...
Fico tão feliz quando meu irmão me liga e diz:
- Vou almoçar aí amanhã, você faz o feijão da vovó?
Claro! Com todo meu amor como ela faria, pra mim, para ele ou por qualquer pessoa que se interessasse em entrar na cozinha dela, puxar a cadeira e pedir um café...
Bom... A ideia é retomar o blog, reabrir o meu net book que foi comprado para que eu fizesse isso todas as noites após me fartar de comer...
Mas, na correria do dia a dia deixamos para trás o que mais nos dá prazer, sempre, para ver a novela, o jogo de futebol, como se quiséssemos nos jogar na cama e esquecer de tudo, pelo menos é isso que eu tenho feito, que vergonha!
Espero de coração que as minhas receitas sejam de alguma forma úteis para alguém, ou que pelo menos um pouco do meu amor chegue a algum coração...
É isso!
Sejam bem vindos a minha cozinha, entra, senta que o café já será servido!!!


Por Luciana às 10:23|


segunda-feira, 19 de março de 2012




E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho que se voltou mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? perguntou o principezinho.
Tu és bem bonita.
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o princípe, estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa.
Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- O que quer dizer cativar ?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro amigos, disse. Que quer dizer cativar?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa.
Significa criar laços...
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos.
 E eu não tenho necessidade de ti.
E tu não tens necessidade de mim.
Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo... Mas a raposa voltou a sua idéia:
- Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música.
E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento do trigo...
A raposa então calou-se e considerou muito tempo o príncipe:
- Por favor, cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principe, mas eu não tenho tempo. Tenho amigos a descobrir e mundos a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não tem tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres uma amiga, cativa-me!
Os homens esqueceram a verdade, disse a raposa.
Mas tu não a deves esquecer.
Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"

 Antoine de Saint-Exupéry





segunda-feira, 5 de março de 2012
Carne Maluca




Escolha uma bela peça de lagarto, limpe-o, leve-o a panela de pressão com óleo bem quente, cebola cortada em 4, alho e sele a carne até ficar dourada, coloque louro, sal á gosto e cubra com água, deixe cozinhar na pressão até que esteja em ponto de desfiar (demora).
Depois de cozido e desfiado coloque em uma travessa e tempere a gosto, eu usei 2 pimentões vermelhos, 2 pimentões verde, 1 talo de alho poró, 1 cebola, 200g de azeitona verde fatiada e meia pimenta dedo de moça picada e sem sementes, coloque sal, azeite extra virgem, suco de 2 limões, raspas da casca do limão, salsinha e cebolinha a gosto, depois é só levar a geladeira  e tirar um tempinho antes de servir.
Aqui em casa, eu servi como entrada em churrasco, mas é um prato super quebra galho!Vale à pena!
Bom apetite!




terça-feira, 28 de fevereiro de 2012





Conhecendo as Ervas


Coentro 
As folhas são de sabor muito suave, parecido ao da salsinha e servem para adornar pratos com curry e comidas orientais, para misturar com queijos suaves ou para aromatizar pratos de carne moída. Recomenda-se mascar as folhas ou as sementes para alívio da indigestão. 

Endro 
Tem um sabor adocicado. As folhas têm forma de plumas ou pêlos e são utilizadas em saladas, com hortaliças especialmente com pepino e em molhos brancos para peixe. É um excelente complemento dos tomates e ervilhas. Alivia gases intestinais. Na Europa, é comum dar chá de endro bem fraco a bebês com cólica. 

Estragão
Tem um leve sabor de anis e é o componente fundamental do molho bearnês. Vai muito bem com saladasverdes, ovos ao forno e omeletes. As folhas de estragão são indicadas para cólicas menstruais. È, também, muito digestivo. 

Hortelã
Picada complementa as saladas, em ramo vai bem com chá e com sopas. Também serve para cozinhar ervilhas e batatas. É ideal com o cordeiro. O chá de hortelã auxilia a digestão. Quando mascadas, as folhas refrescam o hálito. 

Louro
Tem um sabor aromático e agradável. Forma sempre parte do clássico ramalhete de ervas. Uma folha de louro aperfeiçoa os guisados e molho. Também serve para aromatizar cremes, sopas, legumes, arroz e pratos com batatas. As folhas de louro podem ser utilizadas em chás proporcionando alívio contra gases. 

Manjericão
Há dois tipos, o forte e o doce, que se considera o melhor dos dois. Vai especialmente bem com tomates, berinjelas, pimentões e abóbora. Também é deliciosa com pratos de massa e com peixes. Quando utilizado em grandes quantidades, funciona como fortificante e anti-gripal. Acredita-se que o óleo dessa planta sirva como repelente contra insetos. 

Manjerona
Tem um sabor adocicado, como a especiarias. Vai muito bem com os peixes gordurosos como o salmão, nos pratos de carne, pizzas, massas, omeletes, tortas salgadas, aves... Digestivo, expectorante, hidratante de pele, revigorante do cabelo. 

Menta
Existem numerosas variedades. Em geral, se utiliza com carnes, hortaliças, prato doce, saladas, molhos, sopas, etc. É digestiva e tônica. Pode aliviar crises de bronquite, cólica estomacal e intestinal, dor, gripes e tosses. 

Orégano
É uma variedade silvestre da manjerona e tem o mesmo sabor, mas mais forte. Dá caráter mediterrâneo aos pratos de massa e arroz. Se for salpicado sobre o porco ou o peixe antes de assá-lo na grelha, deve ser usado seco. As folhas frescas e picadas vão muito bem com saladas de tomate e de repolho cru. As folhas de orégano são consideradas digestivas e descongestionantes. 

Romeira
É uma erva de sabor penetrante que lembra o pinheiro. Vai muito bem com os guisados e as sopas de cordeiro e de frango. Também pode ser utilizado em pratos de massa, saladas de tomate, couve-flor e feijão. Tem ações adstringentes, antiinflamatório, anti-séptico, diurético e tônico 

Salsinha
Por sua cor e sabor refrescante, a salsinha é uma erva muito valiosa, além de ser a que contém mais vitaminas. A maior parte do sabor está no talo, não na folha. Podemos utilizá-la com tudo: carnes, saladas, ovos, pastas, peixes, guisados, entre outros. Quando consumida em porções de pelo menos 30g, contém uma boa quantidade de vitamina C (no caso da salsa fresca), cálcio, ferro e potássio. É também rica em substâncias anti-cancerígenas. 

Sálvia Aromática
É uma das ervas mais fortes. Contra-balança certos pratos, por isso vai bem com porco, pato, ganso, peixes e produtos lácteos. Também é utilizada para aromatizar os legumes. O chá é usado como digestivo e como líquido para bochechos e gargarejos, agindo contra gengivites, aftas e inflamações da garganta. 

Tomilho
Uma das ervas favoritas da tradicional cozinha italiana. Quente e penetrante, faz parte do ramalhete clássico junto ao louro e à salsinha. É ideal para preparar pratos de carne, especialmente de caça, recheados, guisados à caçarola e molhos de queijo. É utilizado em chás para aliviar distúrbios intestinais, em gargarejos, contra inflamações de garganta, e em xaropes, para tratamento de tosses e congestões respiratórias.

Fonte: Rainhas do Lar ( que saudades)




segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012
Enrolado de Parma e Manga




Vai receber uma visita em casa e está sem tempo?
Presunto Parma e manga enroladinhos, SÓ! Com certeza você vai abafar...
Adoro esse tipo de receita FÁCIL e PRÁTICA!
Agora vai uma dica: O presunto Parma quando fatiado na hora fica mais saboroso, mas não que o de bandeja não seja bom gente, coisa boa é coisa boa, né?
Quanto à manga, dê preferência à sem fiapo, tudo bem que o petisco é servido no palitinho, mas ninguém merece o convidado palitando o dente, convenhamos!
Se tiver oportunidade compre um palitinho diferente só para fazer um charme...
Você vai arrasar!




quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012
Berinjela em Leque





3 Berinjelas
4 tomates cortados em rodelas
200g de mussarela
Manjericão a gosto
Azeitona fatiada (verde ou preta) a gosto

Modo de Preparo:

Lavar as berinjelas em água corrente e cortá-las a partir da parte mais gorda sem chegar até o fim, em fatias formando um leque, entre essas fatias colocar dois tomates, uma fatia de mussarela, azeitona e manjericão a gosto, fazer o mesmo na outra fatia e assim sucessivamente, colocá-las em um recipiente que possa ir ao forno, salpicar sal, orégano e muito azeite (de boa qualidade, please!), cobrir com papel alumínio e levar ao forno por 40 minutos, tirar o papel e deixar por mais 10 minutos.Está pronto! Bom apetite!




quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012
Paixão




Ah, a paixão... Tira-te do chão, te faz sonhar, tira o apetite,, dá um nó na garganta, emagrece... Existe um sentimento mais deliciosamente sentido do que a paixão?
Acho que todos nós, vez ou outra devíamos nos apaixonar, principalmente depois de uma idade em que as coisas se tornam monótonas, simples, mornas. É isso, a vida fica morna...E nada melhor que uma paixão arrebatadora para te esquentar, ou melhor, para incendiar a alma e o espírito...Te fazer enxergar a vida colorida...Ah, a paixão!!! Um suspirar de segundos...
O que é esse sentimento?
Diz a nossa tão útil wikipédia:
“È uma emoção de ampliação quase patológica.
O acometido de paixão perde sua individualidade em função do fascínio que o outro exerce sobre ele. É tipicamente um sentimento doloroso e patológico, porque, via de regra, o indivíduo perde parcialmente a sua individualidade, a sua identidade e o seu poder de raciocínio.”
Raciocínio?? Diz-me, quem consegue raciocinar sendo acometido por tal sentimento? Quem?
“O sentimento exacerbado entre duas pessoas é um exemplo de uma paixão. A paixão pode ultrapassar barreiras sociais, diferenças de formação, idades e gêneros. A paixão completamente correspondida causa grandiosa felicidade e satisfação ao apaixonado, pelo contrário qualquer dificuldade para atingir essa plenitude pode trazer grande tristeza pois o apaixonado só se vê feliz ao conseguir o objeto de sua paixão. A paixão é uma patologia amorosa, um superlativo fantasioso da realidade sobre o outro, tendo em vista que o indivíduo apaixonado se funde no outro, ou seja, perde a sua individualidade, que só é resgatada quando na presença do outro”.
Acho que paixão é como um vício, um desejo de querer sempre mais, vivemos em função da substância desejada no caso da paixão, o “outro”.
Quais os efeitos que tamanho sentimento causam?
“A paixão é um sentimento de desejar, querer, a todo custo "o amor de outro ser ou objeto". Necessidade de ver e tocar a pessoa ou objeto por qual se apaixonou, ou ate mesmo saber que aquela pessoa amada também gosta dele e está pensando nele.
Deste modo.Pode ser entendido como um "vício" que debilita a mente do indivíduo, pois este foca somente a pessoa amada ou objeto artístico nos seus pensamentos, sendo todos os outros momentâneos e irrelevantes.
A paixão pode ser  entendido como um "sedativo" que suscita um prazer admirativo pelos detalhes da pessoa amada...”
Seja qual for o efeito, seja qual for às conseqüências, permita-se viver, permita-se sentir, porque é delicioso simplesmente. Porque da mesma maneira arrebatadora que esse sentimento invadiu o seu ser, ele se esvairá...E um dia você acordará e verá a sua frente aquela vida morna novamente, e caminhará por ela como tem feito a tempos, mas com um diferencial, na expectativa do próximo trem...

(fonte de pesquisa: Wikipédia)








quinta-feira, 31 de março de 2011
No frigir dos ovos...


Recebi esse email hoje e não podia deixar de colocá-lo aqui...



Uma pergunta, uma senhora resposta...



Pergunta:
Alguém sabe me explicar, num português claro e direto, sem figuras de linguagem, o que quer dizer a expressão "no frigir dos ovos"?


Resposta:
Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa.
E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas.
Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.
Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos.
Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.
Há também aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese... etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou.
O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente.
Por outro lado se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco...
A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois quando se junta a fome com a vontade de comer as coisas mudam da água pro vinho.
Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda.




terça-feira, 29 de março de 2011
Ceviche




400 g linguado
400 g lula em anéis
400 g camarão sem casca
1 pimentão amarelo
1 pimentão vermelho
1 cebola roxa
15 limões
Raspas de gengibre
Alho moído
Azeite
Sal e pimenta a gosto


Modo de preparo:
Cozinhe o camarão e a lula por apenas 2 minutos e reserve.
Fatie o peixe em tiras de mais ou menos um dedo tempere com sal e alho e coloque de molho em uma mistura feita de limões espremidos e raspas de gengibre junte os camarões e as lulas e deixe de molho na geladeira por no mínimo 2 horas.
Corte os pimentões e a cebola em quadrados bem pequenos, misture tudo. Escorra o limão do peixe e misture com o restante tempere com sal e azeite deixe descansar mais meia hora na geladeira e pronto.
Bom apetite!

Ceviche

Proveniente do Equador e Peru, o Ceviche alcançou um status de alta gastronomia no mundo todo. Hoje figura no cardápio de vários restaurantes famosos.
Um prato leve e refrescante, o Ceviche encantou vários Chefs ao redor do mundo. Hoje várias versões são constantemente criadas a partir desta técnica tão simples.
Criado na fase pré-colombiana, com a intenção de preservar pescados e moluscos para transporte a longa distância, o Ceviche é feito basicamente mergulhando pescados em uma mistura de um suco cítrico com pimenta chilli. Quando chegava ao seu destino, as pessoas misturavam outros ingredientes (como tomates e pimentões) e comiam em uma cumbuca com pedaços de pão.
O ácido do suco irá cozinhar a carne dos pescados, tornando-a opaca e firme.
Desnecessário dizer que os peixes devem ser bem frescos, comprados em uma peixaria de sua confiança.

(fonte: www.obagastronomia.com.br)





quarta-feira, 16 de março de 2011
Preguiça





Concordo que é um absurdo eu deixar a ceia pela metade,mas... Logo volto para terminar com força total, ok?

Desculpa!




quinta-feira, 13 de janeiro de 2011
Natal



Bom, aqui não vou poder falar muito porque quem fez foi minha tia, mas espero que depois de ler este post ela se prontifique a dar a receita do lombo para eu postar aqui.
E ai tia, vai rolar a receita?
Quanto ao tender eu prestei atenção e não tem erro é só fazer cortes formando losangos, lambusar o bichinho com Karo , espetar cravos e levar ao forno, deixar no forno por 30 minutos fatiar e colocar no prato ajeitando com abacaxi cortado.